Entre as maiores tendências de TI para os próximos anos estão aquelas soluções relacionadas à Internet das Coisas (IoT), que nada mais é do que um conceito utilizado no mundo da tecnologia que conecta diversos dispositivos do cotidiano pessoal e profissional à Internet, possibilitando, assim, uma série de novas aplicações a estes objetos.

Entre exemplos da aplicação da Internet das coisas, podemos citar uma geladeira que faz compras de forma automática pela Internet quando identifica que faltam produtos no seu interior. Ou um automóvel autônomo que solicita serviços de manutenção quando prevê alguma falha no sistema.

O fato é que, conforme o conceito de internet das Coisas evolui e mais aplicações surgem, maiores riscos virtuais também começam a assombrar a vida dos seus usuários. Neste artigo, vamos conhecer alguns destes riscos. Boa leitura!

Dispositivos mal projetados podem causar transtornos

Normalmente, os maiores riscos de ameaça quando se fala em Internet das Coisas estão relacionados à vulnerabilidade dos próprios dispositivos, por falhas de segurança em sua configuração.

Estes dispositivos mal projetados podem causar alguns transtornos a seus usuários e também a empresas.

Babá eletrônica

Falhas de segurança em uma babá eletrônica que estava conectada à internet permitiu que um elemento mal intencionado invadisse o dispositivo e gritasse palavras obscenas enquanto a criança escutava. Este é um caso real que aconteceu no estado do Texas (EUA), em 2013.

Carros

Também nos EUA, um relatório emitido pelo senador Edward Markey indica que hackers podem invadir o sistema de veículos conectados à internet e assumir o controle do motor, freios e faróis, além de interferir nos medidores de gasolina e velocidade.

Geladeiras e televisores

No ano de 2014, mais de 100 mil aparelhos, como televisores, roteadores, e ao menos uma geladeira foram usados para disparar 750 mil Spams. Em todos os casos, as falhas de configuração nos produtos é que proporcionaram as ações.

Mais portas de entrada para sistemas domésticos ou corporativos

Com a evolução da IoT, muitos objetos do nosso cotidiano passam a estar conectados à internet. Estes objetos, de certa forma, acabam identificando hábitos e costumes dos seus usuários, como gostos, horários e preferências, além de informações sigilosas como senhas de cartão de crédito e dados bancários.

Caso um ou mais destes dispositivos não esteja bem protegido contra ataques cibernéticos, uma falha de segurança pode expor diversas informações sobre seus donos, e no caso de empresas, pode comprometer dados importantes para o andamento do negócio.

Criação de objetos inteligentes como armas e explosivos

Dentre os maiores riscos da evolução da internet das coisas está a aplicação deste conceito em armamentos para uso ilegal.

Seja através de explosivos, drones ou até mesmo armas nucleares, diversas aplicações de IoT podem tornar estas ameaças ainda mais perigosas.

Governos de todo o mundo têm trabalhado para regulamentar o uso de algumas tecnologias, tornando o acesso mais controlado e facilitando a identificação de possíveis ameaças, mas este é um grande desafio devido às dificuldades de se realizar o monitoramento.

Considerações finais

O conceito de Internet das Coisas promete uma grande revolução mundial na forma como a tecnologia se aplica no cotidiano das pessoas e das empresas. Porém, para que os riscos trazidos junto com estas aplicações não comprometam os benefícios que elas oferecem, é preciso ter cuidado na escolha e na instalação dos dispositivos.

Escolher objetos de fabricantes confiáveis e contar com a ajuda de um especialista na instalação é uma forma de evitar descuidos e falhas na segurança, garantindo, assim, a proteção dos seus dados pessoais e profissionais.

Para os governos, o desafio é ainda maior, pois algumas aplicações de Internet das Coisas podem trazer diversos riscos para o Estado: é preciso investir em monitoramento e tecnologias de combate a crimes cibernéticos para minimizar as ameaças.

E então, como você vê as aplicabilidades da Internet das Coisas? Ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente pelos comentários e até a próxima. 

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *